domingo, dezembro 21, 2008

Cura

Salto, de um estado a outro, num

Pulo - foi mesmo assim,

Como se quebrasse um muro

(sem suor, medo, força),

Como se dormisse uma e despertasse outra

E logo e enfim, livre de mim,

Encontrasse Chama ainda,

Pequena e cintilante Brasa ardente,

E Cinzas, marcando trilha à frente.


Os anseios que encardiam, ontem, Cama e Alma,

Dormem.

4 comentários:

Bela disse...

eii
lindo o texto!
adorei seu blog
beijinhos

Transitorio disse...

Olá, Bela! Muito obrigada pela visita! Que mal lhe pergunte, como me achou? De um jeito ou outro, seja muito bem-vinda por aqui sempre!
Um abraço!
Sofia

Leo. disse...

que bunitim!

sim achei mesmo legal, acontece as vezes e estamos em épocas de festas moça, não me prenda nisto.

Caetano disse...

Muito bom!
suas palavras dançam, uma harmonia densa e bonita. Adorei conhecer seu espaço. Voltarei sempre!
obrigado pela visita

um beijo