segunda-feira, outubro 28, 2013

Um crime


Tou me sentindo agora

Com uma arma na cabeça

Não foi carregada - mas está engatilhada.


O som do não disparo

A bala que não perfura

O sangue que não jorra

O grito que não se escuta

O choro que não escorre

A cena que não sucede

O medo que não espanta

A dor que não se sente

Os sentidos que não cessam:

A morte


Com exceção da morte,

A vida

É só o que me assusta.


Sem comentários: