sábado, março 10, 2012

Denúncia

Sem a minha permissão, meus olhos contam por quais caminhos percorri
Falam das vezes que tropecei, se por isso me machuquei
Mostram as feridas abertas, sujas ainda de sangue
Fazem doer as mesmas dores a quem me olha,
Se no fundo dos olhos me olha e olhos não vê
Vê alma

1 comentário:

Anónimo disse...

Já é evidente que vc escreve muito bem. E "por conhecer um pouco seu olhar", mesmo que por algumas horas, o texto fica ainda mais vivo, mais "perto", de verdade.
"Muito do que vejo, só o vejo porque outros o viram antes. Dói-me até ao remorso ter sido tão poucas vezes na minha vida aquele que viu."(José Saramago)